Lustres em latão e cristal de rocha ganharam destaque na Europa a partir do século XVI. Ornando palácios e castelos, tornaram-se o epítome do luxo.

Os lustres em latão, por seu tom dourado, são amplamente desejados. Há quem afirme ser a descoberta desta liga metálica oriunda de experimentos de alquimistas que pretendiam transmutar metal em ouro no Oriente Médio, por volta de 100 d.C. Na verdade, o latão é conhecido desde o período Neolítico e era utilizado pelos antigos romanos. 

Lustres em latão figuram em quadros famosos, como o do pintor belga Jan Van Eyck, no qual retrata o casal Arnolfini, em 1434. Historicamente, ambientavam os palácios das famílias mais ricas da Europa, como os Médici de Florença.

 Gravatinhas banhadas a Ouro 24K. 

Gravatinhas banhadas a Ouro 24K. 

 Lustre Roma, em latão envelhecido escuro.

Lustre Roma, em latão envelhecido escuro.

LATÃO em 03 TONS DE ACABAMENTO: 

As diferenças naturais entre as pedras tornam cada lustre único, formando um mosaico de cores e veios particulares.